Relatório2018

Conectar. Cocriar. Transformar

Sonhar com uma sociedade mais justa, próspera e inclusiva. E trabalhamos para fortalecer organizações e redes que atuam na construçãos coletiva de soluções para a sustentabilidade.

Conheça os destaques dessa experiência

Mensagem da diretora executiva

Juntos transformamos realidades

O ano de 2018 foi de celebração e de renovão. Comemoramos com de uma nova equipe,que chegou cheia de energia para implementar novas estratégias e projetos. Adotamos uma nova logomarca e um novo posicionamento institucional, sintetizado em uma frase que muito nos inspira: conectamos diversidades para transformar realidades. Foi com esse espírito de renovação que acompanhamos um ano de aprofundamento da polarização política no Brasil e no mundo. Nesse cenário de intolerância e pouca disposição para o diálogo, reafirmamos nossa convicção de que a colaboração é o único caminho para a construção de um mundo de prosperidade e de paz. A colaboração está em nossa visão, em nossos valores e em todas as nossas ações. Mais do que nunca, acreditamos que só fazendo juntos podemos fazer melhor. O trabalho em rede e a construção coletiva nos proporcionaram grandes conquistas.

No Programa Desenvolvimento Territorial do Sul da Bahia, ouvimos diversos stakeholders na revisão de nossa estratégia para fortalecimento da cadeia do cacau. Reunimos representantes de todos os elos da cadeia — produtores, indústria, setor público e centros de pesquisa — para a discussão sobre políticas públicas. Trabalhamos com prefeituras locais em ações voltadas para o equilíbrio fiscal dos municípios e na implementação de um novo plano de melhoria da educação. No Programa Mudanças Climáticas, trabalhamos com a Coalizão Brasil Clima, Florestas e Agricultura na construção de 28 propostas sobre uso sustentável da terra, em um movimento voltado aos candidatos às eleições. No Cidades e Territórios, reformulamos nossa estratégia com base em uma pesquisa que ouviu 120 gestores públicos a respeito de suas maiores dificuldades nas administrações municipais. E celebramos com a RAPS seus resultados nas eleições: 149 candidatos na disputa, 26 milhões de votos conquistados e 37 líderes eleitos para governos estaduais e o Congresso Nacional. Atuar coletivamente, conectando diferentes perspectivas e saberes, é sem dúvida mais complexo, mas é também mais estimulante e enriquecedor. Nesse processo, refinamos nosso olhar, aprendemos e, principalmente, potencializamos o impacto positivo que queremos ter na sociedade. Nosso profundo agradecimento a todos que, em 2018, nos acompanharam nesse caminho.

Andrea Apponi
Diretora executiva

Andrea Apponi

Reafirmamos nossa convicção de que a colaboração é o único caminho para a construção de um mundo de prosperidade e de paz."

Prioridades 2018

As estratégias e iniciativas que estiveram em nosso foco no ano.

Apoiar o desenvolvimento econômico da região por meio do fortalecimento e dinamização da cadeia do cacau e chocolate.

• Articulação de parceiros e fortalecimento de iniciativas estratégicas.

Apoiar iniciativas que potencializem as ações do poder público e da comunidade local voltadas para a melhoria da educação básica municipal.

• Elaboração do Plano Compromisso pela Educação.
• Construção da Nova Escola em Serra Grande.

Fortalecer a governança e os arranjos institucionais necessários para a implementação e monitoramento do Plano de Desenvolvimento Regional.

• Estruturação da Agência de Desenvolvimento Regional.

Apoiar o desenvolvimento e a aplicação de ferramentas e mecanismos de controle, monitoramento e fiscalização que promovam o uso sustentável do território e o cumprimento da legislação.

• MapBiomas.

Apoiar iniciativas que mobilizem diversos setores da sociedade e influenciem tomadores de decisão para a criação e aprimoramento de políticas públicas relacionadas ao uso da terra.

• Coalizão Brasil Clima, Florestas e Agricultura.

Elaborar nova estratégia com foco em inovação na gestão pública.

Rede de Ação Política pela Sustentabilidade.

Apoios institucionais realizados ao longo do ano:

Centro de Inovação do Cacau, Em Movimento, Escola Superior de Conservação Ambiental e Sustentabilidade, Gove (Muove), Indicação Geográfica, Instituto Clima e Sociedade, Instituto Nossa Ilhéus, Programa Cidades Sustentáveis, Rede de Agroecologia Povos da Mata, Rede de Apoio à Educação e Tabôa Fortalecimento Comunitário.

Programa de Desenvolvimento Territorial do Sul da Bahia

Trabalhamos em rede para promover as bases para o desenvolvimento sustentável da Costa do Cacau

Uma
nova visão
de futuro

No sul da Bahia, estamos ajudando a consolidar uma nova visão de desenvolvimento, baseada na valorização do patrimônio socioambiental local. Com parceiros de diversos setores, atuamos em questões estruturantes para a sustentabilidade: o desenvolvimento econômico, a gestão pública, a educação e o empreendedorismo comunitário.

Destacamos a seguir três frentes prioritárias: o fortalecimento da cadeia do cacau, a educação pública e a estruturação de uma agência de desenvolvimento regional.

Nova Escola

Em Serra Grande, celebramos a retomada das obras, pela prefeitura, do Campus Integrado e Sustentável de Educação Integral, após a liberação dos recursos pele FNDE. Está em construção a escola que abrigará a educação infantil e o ensino fundamental.

O projeto da escola de Ensino Médio, feito pela Arquitetura Cooperativa, recebeu o prêmio da Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura. O campus atenderá mais de 3 mil alunos da creche ao ensino médio e profissionalizante.

Rede de Apoio à Educação

Iniciada em 2014, a parceria com o Instituto Natura na RAE Polo Sul da Bahia chegou ao último ano. Com o objetivo de potencializar a atuação regional na área da educação, o trabalho foi voltado para a formalização e o fornecimento das Câmaras Técnicas de Educação em dois consócios intermunicipais — o Consócio Intermunicipal da APA de Pratigi (Ciapra) e o Consócio de Desenvolvimento Sustentável do Litoral Sul (CDS LS).

Os planos regionais foram validados de forma participativa pelos gestores dos dois territórios e cada câmara técnica elegeu uma ação prioritária. A Ciapra firmou parceria com a Universidade Estadual de Santa Cruz e a Universidade Federal Sul da Bahia para a formação de professores dos municípios do Baixo Sul. A CDS LS voltou-se para o tema da reserva técnica dos professores e realizou um fórum de discussão com 320 participantes.

Integrantes das duas câmaras técnicas apresentam os resultados do projeto RAE no III Encontro da Rede de Consócios Intermunicipais de Educação da Fundação Itaú Social. Os grupos seguem com o apoio dessa rede em 2019.

Centro de Inovação do Cacau

O CIC presta serviços a produtores para aumentar a qualidade das amêndoas e incentivar o desenvolvimento dos mercados de cacau fino e premium. Em 2018, 2,6 mil amostras de amêndoas foram analisadas — mais do que o dobro do ano anterior.

A operação do Laboratório do Chocolate contribuiu para o aumento da receita da instituição. O Choco Lab oferece cursos de diferentes práticas culinárias tendo como principal ingrediente as amêndoas de cacau da região. Quatro cursos foram realizados para profissionais do setor, novos fabricante e estudantes.

Rede de Agroecologia Povos da Mata

A Rede Povos da Mata é uma associação de certificação orgânica que envolve 700 famílias de agricultores familiares, assentados da reforma agrária, comunidades indígenas e quilombolas. Em 2018, alcançou 326 famílias certificadas pelo Sistema Participativo de Garantia.

O número de certificações aumentou 63% em relação ao ano anterior. A Povos da Mata trabalhou com a Tabôa Fortalecimento Comunitário no apoio a produtores de cacau orgânico.

Tabôa Fortalecimento Comunitário

A Tabôa é uma fundação comunitária que oferece crédito e formação a pequenos empreendedores e apoio a projetos socioambientais em Uruçuca, Ilhéus e Itacaré. Em 2018, apoiou 13 projetos comunitários em sua frente de doações.

Na frente econômica, destinou R$ 129 mil em créditos a pequenos empreendedores. Isso permitiu a geração ou manutenção de 128 postos de trabalho. No assentamento Dois Riachões, em Ibirapitanga, a renda média dos agricultores com a venda da produção de cacau passou de R$ 771 para R$ 1,8 mil depois que o grupo usou o crédito da Tabôa para adequar sua estrutura para a produção de cacau fino.

Escas

A Escola Superior de Conservação Ambiental e Sustentabilidade completou dez anos no sul da Bahia. Ao todo, 57 alunos foram formados em seu mestrado profissional. Em 2018, 12 alunos foram aprovados. O percentual de profissionais da região entre os docentes alcançou 25%.

Instituto Nossa Ilhéus

O Nossa Ilhéus obteve uma conquista importante junto ao poder público local: a elaboração do primeiro Plano de Metas de Ilhéus. Previsto na Lei Orgânica desde 2008 e na Carta-Compromisso do Programa Cidades Sustentáveis, o plano ainda não havia sido efetivado.

Sua implementação se estenderá até 2020 e permitirá à população monitorar as ações da administração municipal em áreas como saúde, educação e segurança pública.

Programa Mudanças Climáticas

Fortalecemos iniciativas que buscam conciliar desenvolvimento econômico e conservação ambiental.

Um impulso
para o Brasil

Promover o uso sustentável da terra pode colocar o Brasil como uma liderança global no enfrentamento das mudanças climáticas. Por isso, trabalhamos para fortalecer iniciativas que impulsionem o país nessa direção.
Os projetos apoiados no Programa Mudanças Climáticas buscam estimular a adoção de instrumentos de combate ao desmatamento e a criação de políticas públicas que promovam uma economia de baixo carbono.

Coleção 3

Lançada em agosto, a terceira coleçã0 de mapas apresenta dados refentes ao período de 1985 a 2017. A versão está integrada com as informação do Cadastro Ambiente Rural (CAR) e permite a consulta por novos recortes territoriais — como bacia hidrogáficas, unidades de conservação e terras indígenas. Foram incorporados dados históricos da infraestrutura da energia e transportes no Brasil.

Alertas de desmatamento

O sistema de alertas permitirá aos orgáos de controle ambiental acessar informações mais imediatas e precisas de desmatamento em todos os biomas brasileiros. Esse sistema congrega alertas de desmatamento já existentes no país, validando-os com imagens de alta resolução.

Em 2018, fechamos uma parceria com o IBAMA para a produção de laudos de alertas de desmatamento já validados pela plataforma do MapBiomas. Com isso, o órgão ambiental poderá a atuar de forma mais efetiva no combate ao desmatamento no país.

Uso da plataforma

Foram firmados acordos de coorperação com o Ministério do Meio Ambiente, o Sistema Florestal Brasileiro, o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, a Associação Brasileira de Entidades Estaduais de Meio Ambiente e a Associação Nacional de Órgãos Municipais de Meio Ambiente. Além de ampliar a utilização da plataforma, esses acordos configuram um importante reconhecimento da credibilidade dos dados pelo MapBiomas.

Financiamento

Humanize e Children`s Investment Fund Foundation (CIFF) passaram a integrar o grupo de financiadores do projeto.

As Propostas foram entregues aos principais candidatos à Presidência, aos governos estaduais e ao Legislativo. Também foram apresentadas em eventos e reuniões com lideranças de diversos setores. Um hotsite permitia o envio de mensagens dos internautas aos candidatos.

RAPS, IDS, Cause e Arapyaú participaram da elaboração do documento.

Capa do documento sobre mudanças climáticas

Documento entregue a candidatos à presidência, aos governos estaduais e ao Legislativo

170reportagens publicadas na imprensa
410milpessoas alcançadas nas redes sociais
3milexemplares distribuídos
Visão 2030 e 2050

A Coalização Brasil lançou também o documento Visão 2030 - 2050: o Futuro das Florestas e da Agricultrua no Brasil. Nele, propõe ações para o uso sustentável da terra como base em quatro eixos:

Produzir mais e melhor, por meio da agropecuária e da silvicultura
Criar valor e gerar benefícios a partir da floresta nativa
Acabar com o desmatamento
Viabilizar políticas públicas de Estado e contruir instrumentos econômicos alinhados e integrados

O Visão 2030-250 foi distribuído na 24º edição da Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP 24) , em Katowice, na Polônia.

Programa Cidades e Territórios

Queremos incentivar a adoção de novas soluções para a sustentabilidade pelas prefeituras.

Momento de
renovação

Nos últimos dez anos, participamos de um movimento efervescente pela construção de cidades brasileiras mais sustentáveis. Ajudamos a criar e a fortalecer organizações que estimulam a democracia participativa e a transparência na gestão pública. Fomentamos a formação de lideranças políticas e a construção de agendas municipais de longo prazo. Em 2018, entendemos que era hora de desenhar uma nova estratégia para ampliar o impacto positivo de nossas ações.

Amplificação da adoção de soluções inovadoras para a sustentabilidade pelas prefeituras.

InfográficoArticulação de redes e iniciativas que viabilizem mudanças no ambiente regulatório para favorecer a inovação.

Apoio a iniciativas que mobilizem a sociedade e influenciem tomadores de decisão nas agendas de sustentabilidade, democracia participativa e gestão pública.

Fatores que dificultam a adoção de serviços de inovação nas prefeituras:

Limitação de recursos para projetos de inovação
37,0%
Legislação inapropriada para a contratação dos serviços
32,8%
Ausência de cultura de inovação
16,0%
Insegurança jurídica
9,2%
Ausência de equipe técnica especializada
5,0%

Público consultado:

Ícone de cédula
120 prefeitos, secretários e assessores
Ícone de inovação
Especialistas em inovação governamental
Ícone de prédios
Empreendedor e cívicos

Fonte: pesquisa Plano CDE/Arapyaú

Conheça os resultados da pesquisa

A RAPS nas Eleições 2018

Candidatos na disputa:
149candidatos
25partidos
23estados
26milhões de votos
Candidatos eleitos:
Governadores
2
Senadores
3
Deputados Federais
16
Deputados Estaduais
16

Na frente de capacitação, 19 lideranças foram formadas na segunda edição do Programa de Apoio ao Desenvolvimento de Lideranças Públicas, em parceria com a Fundação Lemann. Um módulo sobre mudanças climáticas foi estruturado em parceria com Lemann, Arapyaú e Humanize.

Gestão e Pessoas

Aprimoramos continuamente os processos internos e buscamos criar um ambiente vibrante para nossa equipe.

Um novo
ciclo

Ampliar o impacto positivo de nossas ações depende tanto do que realizamos com os parceiros quanto de nossos processos internos.
Buscamos levar a gestão do instituto a um novo patamar, com processos robustos e um ambiente estimulante. Temos a satisfação de contar com um Conselho de Governança comprometido e com uma equipe entusiasmada — e muito orgulho do que estamos construindo nesta nova fase do Arapyaú.

Nova estrutura

• Concluímos a formação da nova equipe do instituto. A equipe conta agora com 20 pessoas trabalhando em São Paulo e no sul da Bahia.

• As frentes de planejamento estratégico, gestão de projetos e comunicação passaram a constituir novas áreas. A criação de uma área de conhecimento e advocacy foi aprovada e será implementada em 2019.

Gestão de projetos

• Iniciamos a implementação de uma nova metodologia. Ela engloba a definição, juntamente com os parceiros, dos resultados esperados e dos indicadores de monitoramento de cada projeto. O acompanhamento é feito em reuniões internas mensais e em duas avaliações com os parceiros: uma semestral e outra anual.

• Para responder a esses novos processos, nossa equipe recebeu treinamento em gestão de projetos.

Comunicação

• Revitalizamos a “linguagem da marca” (que busca garantir a coerência entre nossa essência e a forma como nos expressamos), revisamos o posicionamento e aprovamos uma nova identidade institucional do Arapyaú.

• O instituto ganhou uma nova logomarca, que reflete sua crença na interdependência e na colaboração.

Arapyaú

• Como próximo passo, em 2019 iniciaremos um trabalho de fortalecimento da voz institucional, dando mais visibilidade ao que fazemos junto à imprensa e a formadores de opinião.

Gestão de pessoas

• Implementamos uma nova estratégia e programas voltados para a retenção de talentos. Eles abordam questões como o equilíbrio entre vida pessoal e profissional, a flexibilidade na rotina de trabalho, o aprimoramento do ambiente interno e o estímulo à colaboração.

• Estabelecemos reuniões trimestrais para alinhamento entre todas as áreas. Implementamos metas individuais e iniciamos a estruturação da avaliação de competências.

Administrativo-financeiro

• Criamos a Política de Doação e Parcerias para garantir a conformidade com todas as normas, políticas e diretrizes de nosso segmento. Ela integra a gestão de riscos e determina regras e critérios para a doação de recursos e o estabelecimento de parcerias. Todos os funcionários comprometem-se formalmente com seu cumprimento.

• Aprimoramos os sistemas financeiro e de definição do orçamento, garantindo mais agilidade e precisão nas análises. Foram estabelecidas reuniões mensais com a diretoria e os gestores, ressaltando a responsabilidade das áreas em relação ao orçamento.

Informações
financeiras

Em 2018, o Arapyaú investiu
R$ 19,8 milhões
em iniciativas voltadas para a promoção do desenvolvimento sustentável no Brasil.

Para 2019, o aporte total de recursos orçado é de R$ 22,5 milhões — um crescimento de 13,6%.

Distribuição dos recursos por programa — em %:

Desenvolvimento Territorial do Sul da Bahia
Mudanças Climáticas
Cidades e Territórios

Expediente

Instituto Arapyaú | Relatório Anual de Atividades 2018

Coordenação:

Thais Ferraz e Sabrina Fernandes

Texto:

Cynthia Rosenburg

Diagramação:

Bruna Foltran

Programação:

Giungla

Fotos:

Acervos ASCOM/SMIT
Coalizão Brasil Clima, Florestas e Agricultura
Instituto Arapyaú
MapBiomas
RAPS

Banco de Imagens IStock
Lívia A.Barbosa - ASCOM / Prefeitura de Uruçuca